Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 

    Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

    Realizar um processo seletivo que contemple a diversidade de perfis não é um modismo, muito menos ativismo. É, na verdade, o entendimento de que a pluralidade, além de ser uma das características da contemporaneidade, é uma força que amplia os horizontes organizacionais e permite uma performance profissional muito mais completa e funcional. Assim, é importante que todos aqueles que selecionam candidatos para uma determinada vaga, estejam abertos a recrutar pessoas com diferentes perfis, afim de construir equipes heterogêneas que contribuirão significativamente para a obtenção de resultados mais satisfatórios. É para que você compreenda melhor como é importante considerar a diversidade e expanda seu olhar a esta multiplicidade que desenvolvemos este post! Confira já!Recrutar com diversidade

    Benefícios da divergência de opinião

    Dentre as vantagens de recrutar com diversidade, podemos citar a ampliação das chances de encontrar melhores talentos. Tolerância àquilo que é diferente, não padronizado, é uma ponte para se pensar “fora da caixa”. E quando isso acontece, quando uma organização consegue “ver além”, ela é capaz de antecipar-se ao desejo do consumidor e desenvolver produtos e serviços coerentes com o que ele necessita e quer. E este é o sonho de toda empresa, não é mesmo?

    Outro benefício está no fato de que equipes heterogêneas são mais abertas à inovação. As pessoas que compõem estes grupos têm visões de mundo diferentes, o que estimula o desenvolvimento de diferenciais competitivos. Elas lidam melhor com imprevistos e problemas, pois conseguem pensar de maneira não consensual, conseguindo, com isso, encontrar várias propostas diferentes para solucionar uma mesma questão. Mas é claro que tantas opiniões diferentes tendem a causar mais conflitos em um determinado grupo. Por isso, é importante que o recrutador saiba identificar candidatos maduros para lidar com as divergências de maneira positiva. Afinal, discordâncias respeitosas são extremamente bem vindas no ambiente corporativo.

    Entenda que todos somos diferentes

    Mesmo em grupo composto por pessoas com características comuns, é possível afirmar com certeza que existem diversas diferenças entre elas. Afinal, são inúmeros os fatores que influenciam a personalidade de cada indivíduo, e mesmo que experiências similares tenham sido vivenciadas por duas pessoas, a maneira com que cada uma delas irá reagir à tal situação nunca será igual.

    Essa diversidade, comum a qualquer ambiente, no corporativo tem um a mais, conhecido como “covering” ou “acobertamento”. Tal comportamento consiste no esforço realizado pelos funcionários para esconder parte de suas características pessoais, especificamente aquelas que eles acreditam que não serão bem aceitas. Todo este esforço para construir “um personagem” consome muita energia e causa desmotivação.

    Segundo o estudo Uncovering Talent, realizado pela Deloitte em 2013 e apresentado pela Jennifer Brown em um TED, 75% dos funcionários de uma organização encobertam ao menos um aspecto de suas personalidades. Dentre eles, destacamos a aparência, filiações e ideologia. Essa alta porcentagem chama a atenção e serve de alerta para que as empresas desenvolvam ações para ajudar os colaboradores a se libertarem disso, afim de que essa energia gasta para criar “máscaras” seja utilizada em prol da produtividade profissional. 

    Contrate atitude, Treine habilidades

    Dificilmente você encontrará candidatos que tenham todas as qualificações exigidas para exercer as funções do cargo oferecido. É até possível que você encontre algumas pessoas que tenham experiências similares as que serão executadas, mas isso não significa que o profissional estará pronto e que não precisará ser orientado segundo as características da organização que o contrata.

    Por isso, é importante que o recrutador selecione atitudes e não se atenha apenas as habilidades e conhecimentos prévios. Até porque não é possível mudar quem a pessoa é e o que ela traz consigo, mas com treinamento é possível ensinar as habilidades e conhecimentos necessários para sua nova função.

    E na sua empresa, como é feito o recrutamento? A preocupação com a seleção de pessoas com perfis diversificados já é uma realidade? Conte para a gente como são a cultura organizacional da sua empresa e os processos seletivos! Envie uma mensagem por meio da caixa de diálogo abaixo!