Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 


Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

Sua empresa está discutindo a implantação de ensino a distância (EAD), mais especificamente a implantação de e-learning. Todos os decisores estão de acordo com os benefícios, mas ainda existe alguma hesitação: se a empresa está pronta e por onde começar. Este é o seu caso? Então você vai gostar desse post!

Checklist para implantação de e-learning - Você está pronto?

 

Passo 1: Estabelecer objetivos e metas

Primeiro passo: aonde você quer chegar? Para definir e registrar este objetivo, refletir sobre alguns itens pode ajudá-lo. Descreva a situação atual, quanto a treinamento e ações com a equipe. O que não está funcionando? O que você quer resolver através da implantação de e-learning? Verifique o nível de conhecimento atual dos colaboradores, tendo em mente melhorar a produtividade.

Quando o projeto começar, como você vai saber se está no caminho certo? Estabeleça metas mensuráveis que, somadas, mostrem que o objetivo foi atingido. Objetivo e metas traçadas? Vamos para o próximo passo.

Passo 2: Descrever o público-alvo

Quem são as pessoas que serão treinadas via e-learning? O número de alunos justifica o investimento?
Para produzir material adequado aos colaboradores em questão precisamos de um mapeamento desse público. Perguntas para entender o perfil comportamental dos alunos vai ajudar a definir o tema e a linguagem dos treinamentos.

Identificar o conhecimento atual do público-alvo e o que é necessário para aprimorar sua performance no trabalho vai orientar sobre a profundidade e os tópicos-chave que devem ser abordados. A participação dos gestores da equipe nesse levantamento de necessidade de treinamento é fundamental.

Público alvo definido? Próximo passo.

Passo 3: Definir como será o acesso aos cursos

Aqui o desafio é a disponibilidade de tempo dos colaboradores para treinar. É outro tema que precisa de alinhamento com seus gestores diretos. Você vai precisar de bastante jogo de cintura nessa etapa. Ter os objetivos do primeiro passo bem definidos vai reforçar a sua argumentação.

Em seguida, é definir que equipamento e internet os colaboradores utilizarão. Caso a empresa tenha estrutura para isso, ótimo. Alguns colaboradores trabalham em escritório e tem computadores à sua disposição. Lembre-se também que poderão fazer os treinamentos em casa, em seu computador pessoal. Em mercados como o farmacêutico, é comum equipes fazerem treinamento em lan houses.

Se estiver em dúvida sobre questões trabalhistas quanto a treinar em casa ou em horários alternativos, leia nosso post sobre legislação, pois falamos um pouco sobre isso.

Igualmente, pense em quanto tempo cada trabalhador pode permanecer em treinamento sem afetar sua produtividade e, claro, quais máquinas podem ser utilizadas na unidade de trabalho.

Por falar em máquinas, quais serão os equipamentos necessários? É preciso definir se o curso será feito em desktop, notebook ou tablet. Smartphones podem ser utilizados se o conteúdo se adequar ao sistema mobile.

Lembre-se de que funcionários alocados em locais distantes (como plataformas de petróleo), ou que estão sempre em campo, como as equipes de vendas, podem não ter fácil acesso à internet.

Passo 4: Escolha a plataforma que vai usar na implantação de e-learning

A plataforma é o software onde ficam cadastrados os usuários e os cursos disponíveis. A partir desse aplicativo, sua empresa poderá avaliar quem realizou, quanto tempo levou, qual foi a média de erros e acertos, entre outras métricas úteis.

Existem muitas opções disponíveis no mercado. Escolha a que se adeque ao seu planejamento, ofereça suporte e que seja confiável – afinal você vai acumular ali um cabedal de conhecimentos que pertence à sua empresa.

Passo 5: Produção de conteúdo

De nada adianta ter a plataforma adequada e o equipamento correto sem um bom conteúdo. Dependendo da sua urgência, esta etapa, pode ser iniciada depois do passo dois, quanto você já tiver os objetivos e o público alvo definidos.

A questão mais importante é se sua empresa tem o conteúdo que você quer transmitir. Em outras palavras, você tem esse conhecimento documentado? Para cada caso é uma ação diferente.

  • Se você dispõe do material em apostila, manual, Power Point ou qualquer outra mídia esse documento pode ser utilizado como base para montar um curso.
  • Outra hipótese: o conteúdo não está documentado, mas certo funcionário antigo sabe tudo. Nesse caso, é necessário “entrevistar” essa pessoa para captar o conteúdo que ela domina. E, claro, desenvolvê-lo por escrito. É um trabalho grande, mas é fundamental que o conhecimento que é importante para a empresa esteja documentado. Vale a pena! Esse conteúdo vai servir de base para o treinamento via e-learning.
  • A terceira opção: buscar o conteúdo fora, comprar um curso de prateleira, se existir, ou desenvolver o conteúdo junto à um especialista do mercado.

Com o conteúdo definido, é necessário passá-lo para a linguagem do e-learning. Existem várias formas de formatar o seu conteúdo para e-learning. Veja neste infográfico as formas mais comuns.

Você precisa decidir se vai produzir esses cursos internamente, ou se vai buscar terceirizar com empresas especializadas. Tal decisão requer uma análise dos recursos humanos que você tem: quanto a disponibilidade – eles tem tempo para esse trabalho? – e quanto as competências necessárias. Se alguma das respostas for não, procure um fornecedor de implantação de e-learning que desenvolva esse curso para você.

Conteúdo ok! Próximo passo.

Passo 6: Gestão do treinamento

Para pensar em gestão, vamos relembrar o passo 1, objetivos e metas. Você precisa mensurar rotineiramente se o esforço está dando resultado.

Além disso, existem as questões menores de rotina. Cadastrar novos colaboradores, novos cursos, esclarecer dúvidas. Para lidar com tudo isso, você precisa definir quem será o responsável pelo projeto de implantação. E após o projeto implantado, pela gestão do mesmo.

A implantação e desenvolvimento dos cursos demandam um esforço maior. Se você utilizar um bom fornecedor, a ajuda e orientação que este vai lhe proporcionar serão de grande valia em cada parte do processo.

Com responsabilidades definidas, não se esqueça de estabelecer um cronograma. Estipule prazos, tarefas e não se esqueça de compartilhar esses planos com todos os envolvidos! Mãos à obra.

Espero que este checklist contribua para que você realize seu objetivo!

 

E ai, você tem os 6 passos preparados? Ou estão em construção? Se precisar de ajuda, peça uma avaliação do seu planejamento de implantação de e-learning gratuitamente, clicando abaixo.

Converse com um especialista sem compromisso. Clique aqui.