Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 

    Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

    Sempre que um gestor identifica gaps na operação, dificuldades em atingir as metas traçadas ou qualquer outro tipo de problema, o primeiro reflexo é pensar que o responsável é o colaborador direto, ou dependendo do processo, sua equipe inteira.  Ninguém gosta de admitir as vezes sente uma vontade frequente de esfolar uns 3 ou 4 equipe, não é mesmo? Mas a experiência nos ensina controlar a emoção e analisar a situação. A questão para o gestor é refletir o seguinte: a responsabilidade dos colaboradores pelos GAPs é só deles?

    Existem muitos fatores que vão dificultar uma operação fluida dos processos e do negócio. Falta de equipamentos, falta de pessoal, incentivos confusos, falta de verba é claro. Esses são os mais tangíveis e por isso mais fáceis de identificar (o que não significa fáceis de resolver) mas culturalmente, o mais negligenciado, especialmente em times grandes, como vendas, atendimento, suporte é capacitação.

    Até aquela vontade de esganar o colaborador que performa mal arrefece bastante quando percebemos que ele, de fato não tem como adivinhar, a melhor forma de realizar o processo xyz.

    Você sabe melhor de que a gente que a resposta em 99% dos casos é: SIM. De fato o treinamento (principalmente se for continuado) é fundamental para que seu colaborador entenda a fundo os processos, e também o tamanho da participação dele e a autonomia que lhe é reservada no conjunto da “obra”. Nesse cenário escolher a modalidade EAD parece ser a melhor alternativa.

    plataforma_de_cursos_online

    Provavelmente, se você chegou a este post é porque já entendeu isso e já se decidiu que desenvolver um treinamento é a melhor maneira de garantir uma equipe coesa e engajada. Nessa etapa podem surgir algumas perguntas, tais como: como escolher a melhor plataforma de cursos online? O que preciso para planejar e tirar meu curso do papel? E como fazer a direção aprovar a proposta?

    É, parece que você tem alguns desafios pela frente. Mas não se preocupe: neste artigo vamos responder a todas essas perguntas e você, ao final da leitura, estará apto a concretizar seu projeto!
    Escopo do projeto: tudo que você precisa considerar para desenvolver uma boa proposta de curso online

    Elaborar um curso online, por mais simples que ele se proponha a ser requer um alguma  de dedicação para que seu projeto gere resultados efetivos. Em torno desse assunto existe um área vasta de conhecimento que envolve tópicos como: design instrucional, novas tecnologias para a aprendizagem, metodologias para cada público alvo, e outros temas. Em todo caso, você pode (e deve) começar de forma simples.

    Se o objetivo é resolver um problema interno urgente, você precisa de uma resposta dinâmica, mas de valor. A ideia aqui é que você dê o primeiro passo, aprove com a direção seu primeiro projeto e depois comece a se aprofundar no assunto e a criar novos cursos mais elaborados. A recomendação amadurecer o e-learning na sua empresa gradualmente, fundamentado nos resultados e nos feedbacks dos participantes.

    Para criar um projeto que dê resultado você precisa considerar os pontos a seguir no desenvolvimento da sua proposta:

    Planejamento

    Essa é a primeira etapa do processo. Nela seu objetivo será mapear o seguinte:

     

    Quem é meu público alvo?

    Aqui você vai definir o perfil do participante. Precisa estar claro quem é ele, a idade, a área em que ele atua na empresa, qual o perfil do seu trabalho e assim por diante. Esses dados vão nortear os tópicos seguintes, afinal para comunicar bem qualquer informação você precisa entender quem é seu interlocutor.

     

    Qual é meu objetivo principal com esse curso?

    Parece óbvio, mas em muitos casos onde isso não fica registrado por escrito, o “fio da meada” acaba se perdendo durante a execução. Esse desvio é natural, o cenário está sempre mudando, vários influenciadores vão surgir com suas visões do problema, e isso é ótimo, mas também pode confundir bastante. Criar um curso é estimulante, e por isso mesmo você pode acabar se perdendo entre tantas ideias. Defina por escrito e de forma bastante sucinta seu objetivo com a produção do treinamento. E durante a execução, procure voltar e ler esse objetivo regularmente, como também o público alvo.

     

    Quais recursos tenho à disposição (de imediato) para começar?

    Outro ponto importante. Imagine que você é super criativo e elaborou uma proposta arrasadora com recursos em vídeo, aulas web, materiais complementares interativos etc. Mas sua empresa não tem espaço para gravações nem recursos para contratar de fora neste momento. A direção vai mandar seu projeto de volta para a prancheta, ou mais provavelmente descartá-lo. E isso é o que você não quer.

    Então seja realista: elenque o que está à sua disposição para início imediato. Se não ficar satisfeito, busque um parceiro e empresas que possa te oferecer apenas o serviço pontual que falta, dividindo tarefas com você, e não descarte a opção simplificada.

     

    Como pretendo disponibilizar o curso para os participantes?

    Aqui o que você precisa é definir se todo o grupo vai fazer o curso ao mesmo tempo (ex: dia 10 de 9 as 12h) – modelo síncrono), ou se vai optar pelo modelo assíncrono, quando você disponibiliza o curso por completo e cada participante tem um período participar, dentro desse período, cada um faz no seu horário,  no seu ritmo.

    Para definir isso pense no seu objetivo: se por exemplo, você está treinando um time de vendas, e sabe que a agenda deles é bem variada,  você terá mais adesão no modelo assíncrono, onde todos fazem o curso no mesmo ritmo. Pense nisso, antes de continuar.

     

    Preciso de um tutor para tirar dúvidas?

    Essa é uma questão bem particular, vai depender do perfil dos participantes e óbvio do seu objetivo final, além claro, da complexidade do tema. Ter um tutor nada mais é do que eleger algum profissional da empresa que domine o assunto (ou contratar um especialista) para moderar as interações e trocar ideias com os participantes, quando oportuno. Esse profissional não precisa ficar de plantão. Ele pode reservar algumas horas por semana para isso.

     

    Que tipo de material extra vou disponibilizar?

    Esse ponto é fundamental. Uma boa plataforma de cursos online sempre prevê espaço para disponibilizar material extra, e você deve pensar nisso. Talvez, parte do seu público alvo queira consultar o material de forma mais rápida., por exemplo. Nesse caso, um guia rápido em PDF ser baixado no celular e também impresso. Você também pode disponibilizar resumos, esquemas e o que mais for conveniente.  Você pode contar com a contribuição dos próprios participantes para escolher os conteúdos extras. Use a avaliação de reação para isso.

     

    Como quero avaliar o resultado?

    Avaliar a retenção é muito importante. Saber se as informações estão de fato sendo absorvidas é mais que recomendado e vai te dar um panorama do que esperar ao final do treinamento. Escolha como vai querer avaliar seus participantes: se haverá um pequeno Quiz ao final de cada módulo, ou se vai ser uma avaliação com tempo de duração determinado ao final do processo, você decide.

     

    Como criar o roteiro para as aulas?

    Nesse ponto talvez você precise de ajuda. Pode ser que o seu fornecedor da plataforma de cursos online que você escolheu já te ofereça esse suporte, ou pode ser que você precise de apoio de algum profissional da empresa que domine o tema. Mas criar o roteiro não é complicado.

    Para tornar ainda mais simples a nossa sugestão é que você crie uma linha de raciocínio e aponte ali quais informações devem ir aparecendo para que o participante possa construir seu pensamento. Depois transforme esses pontos em tópicos e desmembre-os adicionando conteúdo explicativo (que será  o material das aulas). Vamos te dar um exemplo:

    Você está treinando seu time de vendas que faz prospecção ativa de clientes. Como seria o processo ideal de aquisição de informação e primeiro contato com o cliente, por exemplo?

    1. Pesquise por possíveis oportunidades (online, em eventos etc.)
    2. Detalhe o perfil de cada prospect (estude o universo de cada possível cliente)
    3. Aprenda como abordar o cliente no primeiro contato e assim por diante.

    Esses tópicos se transformam em temas para cada aula e você deve elaborar um conteúdo enxuto para cada um deles.

    No final desse processo você poderá determinar o tempo de duração do curso, e poderá prever o tempo e quais recursos precisará para esse desenvolvimento. Ficou mais fácil, não é?

     

    Plataforma de cursos online: fatores para levar em conta na hora de comparar opções

    Agora mudamos de desafio. Você precisa escolher a melhor plataforma de cursos online para disponibilizar seu treinamento. Existem inúmeras empresas no mercado. E à primeira vista pode parecer que elas oferecem o mesmo pacote de produtos/serviços. Mas não é bem assim! Se você precisa de mais detalhes sobre o tema leia este artigo, que elaboramos para esmiuçar o assunto. Mas se o tempo é curto, não se preocupe, veja abaixo um check list do que você precisa observar em cada alternativa:

     

    • Qual o espaço de armazenamento oferecido.
    • Como é a usabilidade da plataforma (se ela é simples de operar ou complexa).
    • Quais ferramentas a plataforma oferece.
    • Se a empresa oferece serviços de apoio ao gestor/usuário (pode ser que você precise tirar dúvidas descubra como esse feedback é oferecido).
    • Se a empresa oferece serviços de apoio ao participante, o aluno.
    • Apoio especializado para desenvolvimento dos cursos.
    • Se existe a possibilidade de customizar a plataforma. Isto é, modificar seu funcionamento para atender uma necessidade específica do seu negócio.

     

     

    Viabilidade: como convencer a direção que sua ideia vale o investimento?

    Agora chegamos no ponto final: o investimento. A primeira dica é nunca usar o termo CUSTO na abordagem com a direção. Claro que a empresa vai pagar um preço X pela plataforma de cursos online. Mas a ideia correta a se passar é que o treinamento é um investimento para gerar melhores resultados para a empresa. Não é o mesmo que gastar em cafezinho.

    Investir em treinamento é proporcionar para sua equipe mais ferramentas para ela atuar em máxima performance. E que particularmente investindo em e-learning, está sendo criado um patrimônio de conhecimento, que será reaproveitado inúmeras vezes.

    Para viabilizar seu projeto você precisa mostrar como vai poder aferir se obteve ou não resultados, isso não pode ficar no ar. Amarre bem esse raciocínio.

    Agora que você já pensou em tudo, é o momento de esquematizar esses dados numa bela apresentação e defender seu projeto.

    Abaixo uma pílula de conteúdo de 2 minutos, no formato videoaula, com dicas de como se preparar para a apresentação do seu projeto.

     

    Faltou abordar algum tema importante? Coloque nos comentários. Estamos a postos para te ajudar nessa empreitada. Ou se quiser ter uma conversa mais completa, faça uma call gratuita com um de nossos especialistas.

    Converse com um especialista sem compromisso. Clique aqui.