Treinamento de baixo custo: como criar um projeto enxuto e eficiente

Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 


    Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

    treinamento-de-baixo-custo

    Eu poderia começar esse post te falando o óbvio: que para um treinamento de baixo custo, o ideal seria usar ferramentas gratuitas. Mas a questão é que sem um plano, essa é uma dica superficial e que pode fazê-lo criar um treinamento ineficaz, ou até mesmo nem conseguir terminar de construí-lo. E a ideia neste conteúdo é justamente oposta. Através de algumas dicas, você verá que é sim possível criar um treinamento eficiente e de baixo custo.

    Existem muitas formas de desenvolver um projeto de treinamento online de baixo custo. Isso porque esse tipo de projeto envolve muitas atividades, e você pode combinar recursos mais elaborados com outros gratuitos, pode usar serviços de apoio ou fazer você mesmo. É importante ter em mente que nada é de graça, principalmente o seu tempo. Imagine a complexidade de pregar um prego sem um simples martelo.

    Ou seja, o segredo é encontrar a combinação ideal para o seu negócio. Mas se você está esperando uma receita para copiar na sua organização, esquece! Não existe receita de bolo, pois as empresas são diferentes, colaboradores diferentes e, consequentemente, necessidades diferentes. E tudo isso deve ser levado em consideração no planejamento do projeto.

    Primeiro vamos definir algumas coisas

    Qual o tema do treinamento, quem você vai treinar e porquê. As respostas a essas três perguntas irão determinar os rumos do projeto. O porquê treinar é quem vai determinar quanto vale a pena gastar. Se você está perdido nessas perguntas, vale a pena começar fazendo um levantamento das necessidades de treinamento.

    A partir dessas respostas você terá a base para desdobrar o planejamento através de perguntas um pouco mais complexas. E quais conteúdos e formatos melhor atenderão às necessidades dos colaboradores. A seguir, veja algumas dicas para realizar o planejamento do projeto.

    • Defina seus objetivos

    Quais são as habilidades e conhecimentos que deverão ser desenvolvidos a partir do treinamento? Onde exatamente a empresa pretende chegar com o treinamento de colaboradores? Qual o índice de adesão ao treinamento que a organização pretende alcançar? E, claro, qual é o orçamento a ser investido? Enfim, essas são algumas das perguntas que deverão ser respondidas para começar a traçar os objetivos do projeto de EAD e, a partir dessas respostas, será possível definir quais os caminhos, ferramentas e estratégias deverão ser utilizados para alcançar tais objetivos.

    • Identifique os obstáculos de aprendizagem

    Além do custo, quais são os outros desafios a serem superados pela organização no planejamento do treinamento? A falta de tempo, colaboradores que permanecem pouco no escritório e por isso precisarão de treinamentos compatíveis com mobile, adesão ao treinamento, ruídos no projeto de comunicação e etc.

    Por exemplo, você até pode ter colaboradores que desejam e estão muito interessados em aprender, mas simplesmente não têm muito tempo livre. Sendo assim, o que fazer? A dica seria apostar em conteúdos enxutos, como micro aprendizado, para não ocupar muito tempo ou sobrecarregar. Pois, caso contrário, não será eficaz e pode até ser ignorado.

    Você há de concordar que é impossível solucionar um problema que não sabemos que existe, certo? Então antes de tudo, é muito importante entender quais são os desafios e obstáculos que o treinamento deverá enfrentar na organização para que o projeto ideal seja desenvolvido evitando o desperdício de tempo e de um orçamento que já é curto.

    • Encontre seus próprios recursos

    Tratando-se de um treinamento de baixo custo, ser capaz de reconhecer e encontrar suas próprias habilidades e recursos para a execução do projeto é primordial.

    Sendo assim, quais são as ferramentas que você conhece, domina ou tem acesso e que poderão ser peças chave no treinamento online da equipe? Alguns exemplos são equipamentos de filmagem, programas de edição, banco de imagens e/ou vídeos, conhecimento de gerentes e colaboradores que poderão virar módulos do treinamento entre outros.

    • Talvez você não esteja sozinho

    Eu sei que em muitas tarefas você está de fato sozinho, mas, talvez, você pode ter alguns aliados no projeto. Talvez alguém de marketing possa dar uma ajuda com umas imagens, ou até os vídeos do treinamento. Ou outro colega é fera em PowerPoint e pode ajudar com a formatação ou até mesmo uma revisão ortográfica. Se possível, busque aliados. E não esqueça de adicionar créditos e agradecimentos no material final.

    • O professor?

    Ué, mas EAD não precisa de professor. Não para “dar a aula”, mas e o material? Muitas vezes você não vai dominar o tema do seu treinamento, então vai precisar de um colega que conheça.

    • Projeto piloto

    A ideia aqui é ser capaz de experimentar o projeto, simulando o uso real, mas em menor escala para, a partir dos dados colhidos, conseguir definir os ajustes finais que deverão ser realizados para a implantação definitiva do projeto. Importante: o piloto é o momento em que você vai fazer experimentos, testar coisas, então precisa poder errar. Por isso, não convide o presidente da empresa, não é a hora para isso.

    Essa é uma etapa que tem como objetivo diminuir os riscos de implantar um projeto ineficiente e que precisará de muitos ajustes durante a prática, o que acarretaria em muito desperdício financeiro, além do tempo investido. Aqui você encontrará algumas dicas de como realizar um projeto piloto ideal com foco em resultados claros e baixo custo.

    Melhores formatos de conteúdo para um treinamento de baixo custo

    Há pouco tempo falei aqui sobre como escolher os formatos de conteúdo ideais para integrarem o projeto de EAD da organização. E um dos fatores mais importantes que deverá fazer parte dessa escolha é, sem dúvidas, o orçamento do projeto. Afinal, existem formatos que podem precisar de um investimento tão grande que levaria todo o orçamento de um treinamento de baixo custo.

    Mas a boa notícia é que existem conteúdos que são bem mais simples de serem produzidos internamente, além de precisarem de um investimento financeiro mais modesto, como veremos a seguir.

    1. Videoaula no Zoom e outras ferramentas

    Já falamos por aqui em como ferramentas de videoconferência se tornaram importantes aliados do treinamento online, principalmente com a pandemia do Covid-19. O que talvez você ainda não saiba é que é super possível produzir uma videoaula de qualidade a partir de uma captura de imagem em uma plataforma de videoconferência como o Zoom.

    Nesse formato, a captura do vídeo é feita com o instrutor ministra a aula em videoconferência Zoom, para um consultor Líteris do outro lado, que o orienta quanto à posição da câmera, repetir falas e outros ajustes.

    A edição do vídeo produzido é a mesma da produção tradicional. Assim é alcançado o resultado da videoaula com menor orçamento. Visto que com essa solução não se faz necessário a locação de um estúdio, câmeras, microfones e outros equipamentos.

    2. Aulaweb tela a tela: usando H5P ou PowerPoint convertido.

    Um dos formatos mais utilizados por quem opta pelo treinamento online, a aulaweb tela a tela, se comparada com outros formatos como jogos corporativos, também pode ser considerada um formato de baixo custo.

    Inclusive, é bem possível que você já tenha um treinamento prontinho, mas ainda não tenha se dado conta. Isso porque aquele seu conteúdo em PPT, se convertido para SCORM, com algumas adaptações aqui e ali, pode sim se tornar um treinamento bastante eficiente para seus colaboradores. Inclusive, com um sistema de avaliação robusto.

    Além disso, a ferramenta de H5P oferece os recursos necessários para que você mesmo possa construir conteúdos interativos como vídeos e jogos corporativos. Ou seja, através desta ferramenta você ganha autonomia para produzir os seus próprios conteúdos, sem investir o seu orçamento na terceirização da produção. Ideal para produção de treinamentos de baixo custo.

    3. Videotutorial de sistemas

    Como o nome já diz, o videotutorial de sistemas nada mais é do que uma captura ou gravação de tela que pode ser, ou não, acompanhada de uma locução explicativa para exemplificar a navegação em um determinado software.

    Bem simples, não acha? E com o custo baixo também, já que a única coisa que você precisará aqui é de um bom programa de captura/gravação de tela e edição. E, além de exigir um custo mais baixo para execução, ele também possui um processo de pré e pós produção bem mais simples, o que facilita a produção interna.

    4. PDF

    Sim, é isso mesmo que você leu. O PDF é um formato de conteúdo para treinamento online, inclusive imprescindível para treinamentos de baixo custo. Pois além de serem extremamente fáceis de serem produzidos, são ideais para treinamentos que precisam de constantes atualizações.

    Além disso, apesar de pouco interativos, os materiais em textos ainda são os mais utilizados quando se trata de transmissão de conhecimento. Os PDFs podem ser convertidos para e-books, e acompanhar os colaboradores para além do ambiente virtual da Plataforma, sendo bastante eficientes como material de apoio de seus treinamentos, podendo ser facilmente acessados sempre que necessário.

    Plataforma Moodle como aliada

    Agora que o conteúdo já foi resolvido, você precisará de uma plataforma para entregar o conteúdo, gerenciar e mensurar o desempenho e a adesão de seus colaboradores. A Plataforma Moodle é um sistema flexível, de código aberto e download gratuito.

    Ou seja, para ter acesso a plataforma, você não paga licença pelo programa para utilizar, apenas o serviço de empresas que vão colocar no ar e ajudá-lo a gerenciar, como a Líteris que já implantou o Moodle em diferentes mercados como: indústria farmacêutica, petróleo e gás, indústria, varejo, bancário, serviços, entre outros.

    Porque não usar ferramentas como WordPress como LMS

    Vamos falar a verdade, o WordPress é feito para construir sites. A vantagem de usá-lo é que, teoricamente, ele é mais conhecido no dia a dia das organizações e com certeza alguém na sua empresa já trabalhou ou trabalha operando a ferramenta. Mas isso não quer dizer que ele atenderá suas expectativas e que irá sair mais barato e simples assim.

    Isso porque, por ser focado em sites, essas configurações tendem a privilegiar o uso de vídeos. Ou seja, se o seu treinamento for uma sequência de cursos em vídeos, ótimo, mas geralmente não é isso que acontece. E se o seu projeto tiver um viés mais corporativo ou acadêmico, que requer avaliações, trilhas de aprendizado e outros recursos, o WordPress pode não ser o melhor caminho. Sem dúvidas, aqui a melhor solução é, sim, a utilização de uma Plataforma Moodle (LMS).

    Ufa! Já deu pra ver que o desenvolvimento de um projeto de treinamento online é um processo complexo e com várias camadas que envolve desde diferentes tipos de conteúdo até a escolha do software ideal. E fazer isso com baixo orçamento pode tornar tudo um pouco mais desafiador. Porém, ainda assim, com ajustes certos é possível colocar em prática um projeto de EAD bem sucedido. Aqui você encontrará todo o caminho para a criação de um projeto de T&D desde o levantamento das necessidades de treinamento até a avaliação dos resultados finais.

    Além disso, a Líteris usou toda a sua expertise de mais de 30 anos de experiência no mercado de treinamento e desenvolvimento para desenvolver um curso de autoria em treinamentos que irá te ajudar a desenvolver a sua própria autonomia para construir e gerenciar os treinamentos online da sua organização, confira:

    Curso Implementando EAD na sua Organização

    Esse post foi útil para você? Aproveite para compartilhar com amigos. E conta pra mim, aqui nos comentários, qual outro assunto que gostaria de ver por aqui!