Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 


Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

Quantas vezes você já se deparou com um problema dentro da empresa que poderia ser facilmente resolvido com a experiência de um colega saiu recentemente da organização? E aquele cenário onde um funcionário novo integra o quadro e você, gestor, precisa parar suas atividades para “ensinar” a rotina de trabalho?

 

É para mitigar eventos como este, e outros relacionados, que as organizações tem implantando programas internos (e ativos) de gestão do conhecimento. A falha em gerenciar conhecimento pode pode levar as corporações a perderem dinheiro, tempo e oportunidades de crescimento.

Mais do que isso: o hábito de mapear e preservar experiência e know-how dos colaboradores  pode impactar positivamente a imagem da empresa para os próprios colaboradores (que se sentem mais valorizados).

Neste artigo vamos te ajudar a implementar de forma simples um bom plano de gestão do conhecimento na sua empresa, confira:

 

O que é gestão do conhecimento?

A gestão do conhecimento envolve a descoberta, retenção e o compartilhamento de conhecimentos e informações que visam melhorar a eficiência e os processos da empresa. De uma forma geral envolve 4 etapas:

Compilar e armazenar conhecimento

Esta é uma das etapas mais significativas de todo o processo de gestão de conhecimento, uma vez que representa a base para as fases restantes. O ponto fundamental é: escolher um meio adequado para compilar e armazenar o conhecimento. Uma das ferramentas mais sensacionais para organizar, compilar e deixar disponível (de forma amigável)  informação útil para os funcionários é o vídeo. Se você quiser aprofundar os conteúdos e tornar a experiência do colaborador ainda mais rica o formato e-learning também  pode ser uma ótima opção.

Compartilhar e transferir

Essa etapa é crucial. Aqui você vai precisar de ajuda e engajamento dos colaboradores que detém o conhecimento que você deseja compilar na sua base. Portanto, será preciso identificar se:

a) O provedor de conhecimento está apto a descrever as informações a serem compartilhadas

b) O destinatário do conhecimento deve estar ciente de que o conhecimento existe e está disponível para ele

c) Deve existir um meio de contato entre provedor e destinatário (aqui é mais um ponto onde um processo de e-learning pode servir como facilitador!)

 

Aplicar na prática

Aprender coisas novas é bom, mas o esforço nesse sentido pode ser desperdiçado se não houver consistência entre o conhecimento obtido e a aplicação em cenários reais. Colocar habilidades (e teoria) em prática é o objetivo principal de uma boa gestão de conhecimento organizacional.

Planejar e organizar essas etapas é o que vai garantir a alimentação da sua base de conhecimento de forma recorrente e profissional.

 

Vamos criar um plano simples para começar a colocar tudo isso em prática?

A seguir, vamos apresentar algumas dicas para você entender como pode aproveitar ao máximo o conhecimento “oculto” ou mal aproveitado das pessoas na sua organização.

Crie um espaço para compartilhar conhecimento

Antes de gerenciar o conhecimento de forma eficaz, é necessário escolher uma plataforma onde esse conhecimento possa ser capturado e disponibilizado. Se o objetivo é construir capital intelectual, um sistema user-friendly e flexível é um alicerce essencial. Você pode optar por uma Plataforma LMS ou por um sistema mais simples, desde que ele consiga deixar seus conteúdos “à mão” de forma organizada para seus colaboradores acessarem quando for oportuno.

Entenda que o seu sistema de gestão de conhecimento não será eficaz se for apenas um depósito de conteúdos. O objetivo é que o conhecimento flua em ambos os sentidos, criando uma comunidade de aprendizagem e possibilitando a troca entre os usuários.

Aumente sua audiência

Não basta apenas criar uma plataforma: é fundamental mudar o comportamento dos times e transformar o compartilhamento de conhecimento numa parte da cultura empresarial. Para fazer isso, todos devem estar envolvidos (desde o CEO até ao novo estagiário). E como fazê-lo? Para além de todos estarem cientes dos resultados que podem surgir de uma boa gestão de conhecimento (mas isso é assunto para outro artigo!), é essencial que a sua plataforma de aprendizagem seja simples, porém interessante e atraente para o usuário. Outro ponto importante é que os colaboradores se sintam efetivamente envolvidos no projeto.

Será que dá para fazer tudo isso sozinho?

Claro que é possível. Começar simples é melhor que não fazer. Para isso você pode seguir os passos anteriores, e usar algumas ferramentas que podem ser bastante úteis para compilar seu capital intelectual, tais como:

 

  • Vídeos com tutoriais sobre o uso de sistemas,
  • Vídeos com palestras curtas sobre processos,
  • Apresentações criativas em PPT,
  • Manuais em PDF interativos (com hiperlinks), e muito mais…

 

Para aprofundar seu conhecimento sobre o tema e deixar tudo mais claro, você pode acessar outros conteúdos relacionados, clique nos links:

 

No entanto, se você deseja deixar esse projeto mais robusto e profissional, vale a pena

pedir a ajuda de um especialista em sistemas LMS e gestão de conhecimento. Fale com a gente!

ppt_ead