Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 

    Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

    Em tempos de recessão econômica é assim mesmo: as empresas tentam ao máximo descobrir como reduzir custos para se adaptar a contração do mercado. Quando as vendas caem, as despesas precisam ser adaptadas, para que a empresa continue competitiva no mercado. Para isso, uma ferramenta que tem se mostrado cada vez mais presente nas organizações é o treinamento online, ou EAD, especialmente por sua eficiência e baixo investimento.

    como reduzir custos

    Mas, onde mesmo você descobre como reduzir custos? Acompanhe nosso artigo e descubra alguns exemplos.

    Pra começar: como funciona o treinamento via EAD?

    Talvez você já saiba disso, mas vale a pena reforçar: o ensino a distância é um método que tem sido utilizado por inúmeras organizações e instituições, em conjunto com o treinamento presencial tradicional, como forma capacitação de colaboradores, parceiros e até clientes. Esse método, que utiliza a internet e automatizações, demanda um investimento menor quando comparado com o presencial a partir de um certo número de pessoas – e desse ponto todo mundo gosta, é aqui que você começa a ver como reduzir custos.

    O tipo de ensino utilizado nas plataformas de EAD também oferece uma dinâmica diferente do ensino presencial, pois, através dele, o colaborador terá acesso ao conteúdo em qualquer lugar e em qualquer horário, evitando a necessidade de agendar um local e uma hora para os treinamentos – além do deslocamento em alguns casos.

    Então, como reduzir custos com o EAD?

    Em crises, existem algumas áreas que sempre são cortadas primeiro. O treinamento infelizmente é costumeiramente uma delas. O e-learning é uma forma de manter o treinamento, e em alguns casos, até expandi-lo. Veja alguns exemplos a seguir:

    Redução da rotatividade / turnover de colaboradores

    Um treinamento bem feito consegue conscientizar e mudar comportamentos. Isso pode tornar mais efetivos funcionários que antes estariam na lista de baixa performance e possíveis demissionários. O custo de demitir, recrutar e contratar é caríssimo aqui no Brasil. Recuperar colaboradores é uma opção valiosa que não pode ser ignorada.

    O treinamento também pode aumentar o engajamento de colaboradores. Em algumas organizações onde existe a combinação de falta de orientação associado à forte cobrança por resultados, pode resultar em uma pressão difícil de resistir, estimulando a saída de colaboradores. No mesmo sentido, o treinamento de liderança para gestores pode ajudar no equilíbrio do ambiente de trabalho.

    Em crise, com desemprego alto, o assunto retenção de talentos se torna secundário. Mas o problema não desaparece.

    Mais conformidade com processos

    Processos excelentes que não executados não valem nada. Equipes bem treinadas são mais eficientes – produzem mais com menos. E mais efetivas, tem mais taxas de sucesso. No todo, é redução de perdas e aumento de ganhos.

    Implantação mais rápida de mudanças e inovação

    Dizem que as crises abrem novas oportunidades. Mas para aproveitá-las não basta a alta gestão ter uma grande ideia apenas. É necessário alinhar todo o time, e isso não é fácil. O treinamento é um dos pilares de gestão da mudança, o EAD é um método para viabilizar treinamento.

    Acelera os resultados de treinamento

    Nosso país é grande. Treinar pessoas espalhadas pelo Brasil além de caro, demora. É uma grande área para cobrir. Quantas empresas de atuação nacional você conhece que tem duas ou três pessoas viajando ininterruptamente para cobrir o país todo? Quanto tempo leva para dar a “volta” ? Com o EAD é possível atingir centenas de pessoas em semanas.

    É um poderoso filtro no processo de recrutamento

    Algumas organizações têm grandes equipes de pessoas especializadas, como os propagandistas (reps) da indústria farmacêutica. Para estas empresas particularmente, o desafio de recrutar é grande. Do processo de selecionar até colocar a pessoa no campo apta a ser avaliada é um ciclo muito longo. Isso quer dizer que demora para você saber se o profissional escolhido tem mesmo aquilo que a empresa precisa. Quando não é o perfil certo, é um grande prejuízo de dinheiro e tempo.

    Algumas empresas hoje fazem o treinamento básico e avaliações em uma Plataforma EAD antes mesmo da contratação. Com isso, conseguem reduzir custos no ciclo de feedback do recrutamento. Fantástico não?

    Viabiliza a reciclagem

    Por melhor que o treinamento seja, presencial, online, com palestrante famoso, com prêmios, o colaborador é humano e jamais absorve 100%. Muitos temas importantes, seriam melhor aproveitados se pudessem ser revistos mais de uma vez por ano (para algumas empresas, mais de uma vez na vida! rs). Pelas características do e-learning, repetir um curso custa zero para a instituição.

    Menos tempo fora da ação

    Uma fonte de conflito entre supervisores de equipe com gestores de treinamento é de liberar o  seu colaborador para participar do treinamento. Com equipes reduzidas, tirar um colaborador do seu posto é um crime. Muitos vendettas surgem daqui rs.

    O EAD pode chegar a ser 4 vezes mais rápido* do que o presencial em certos contextos. Sim, já conseguimos ajudar clientes a reduzir treinamentos presenciais de 4h, que dificilmente eram realizados, tornando-os online com duração de 1h.

    Hoje, com o uso de técnicas de microlearning, a duração não diminuiu, mas ficou ainda mais otimizada, pois esses 60 minutos poderiam ser divididos em seis sessões de 10 minutos. Bem mais fácil de encaixar na rotina, não acha?

    * importante: não quero sugerir que o EAD é melhor que o presencial. Em breve um post sobre isso por aqui.

    Simplifica o monitoramento e refinamento

    Tradicionalmente o treinamento é uma área com poucos números. Com o advento da tecnologia, em particular o e-learning, esse paradigma vem mudando. Eu tenho curiosidade para descobrir se a “simplificação da geração de relatórios” aguçou o interesse pelos indicadores, ou o contrário, se o amadurecimento do treinamento trouxe a necessidade por mais mensuração e por isso a tecnologia foi ser desenvolvida. De uma forma ou de outra, agora os números estão a nossa disposição, e o desafio agora é aprender a interpretá-los. Veja mais sobre isso  no nosso artigo 11 indicadores de treinamento e desenvolvimento impossíveis de serem ignorados.

    Com esse acompanhamento de métricas, torna-se algo menos “quântico” medir resultados, avaliar abordagens e fazer ajustes no caminho da melhoria. Esse assunto saiu do nível do doutorado e agora é rotina. Sem drama.

    Aliás, a compilação (tabulação para os tradicionais) de dados foi levada a outro nível. Com os recursos das boas plataformas de treinamento, você não precisa mais daquele estatístico (que você nunca teve) em sua equipe. Ter acesso a essas métricas virou rotina. Essa mudança vem mudando toda a forma de gerir os treinamentos atuais.

    Isso significa que você terá menos tempo com operação e mais tempo com conteúdo e decisão. Efetividade.

    Então, para reduzir custos basta implantar o EAD

    É claro que não é uma fórmula mágica. O treinamento online é uma opção para trabalhar conscientização e capacitação. Para ter impacto positivo real na organização primeiro é necessário identificar se o problema em questão vem de falta de treinamento mesmo.

    E depois disso, existem outros fatores a serem considerados, como identificar o conhecimento ou comportamento que se precisa melhorar. Em resumo, não é a metodologia ou tecnologia que vai trazer o resultado, mas ambos são ferramentas para viabilizar o alcançar o objetivo.
    Você tem outro exemplo que eu não conheço de como reduzir custos do seu negócio através do EAD? Na sua organização, você já viu algum caso onde o e-learning ajudou a reduzir custos com efetividade? Compartilhe conosco nos comentários abaixo!