Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 


Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

Ficar durante horas em frente a um computador assistindo um treinamento nem sempre é algo muito convidativo para quem teve um dia cansativo de trabalho. Esse fato, aliado a uma crescente falta de tempo dentro das organizações, acaba diminuindo o interesse por cursos de longa duração. Embora exista perfil para todo tipo de metodologia, o interesse por cursos mais rápidos e dinâmicos parece ser uma tendência, principalmente quando a temática não é complexa.

micro learning

Usar o  micro-learning pode  ser a solução para empresas que precisam capacitar seus colaboradores, e que buscam de uma solução para aumentar a adesão. A sensação de que o treinamento é mais curto é uma motivação extra. Fornecer treinamento nesse formato constitui uma estratégia alinhada com a nova dinâmica de trabalho  nas organizações modernas. Uma sociedade em constante movimento, mercados mutantes e tecnologia que evolui de forma acelerada pede uma forma de passar o conhecimento mais compatível com a realidade: pessoas que dispõem de  pouco tempo, alternam constantemente de tarefas, e com isso acabam “atrofiando” sua capacidade de concentração.

Mas o que é micro-learning?

Trata-se de uma metodologia que fraciona um treinamento em partes menores e dinâmicas, para dar a sensação de aprendizado acelerado. Esse tipo de formato é excelente para prender a atenção do participante e garantir que ele assista as aulas e cumpra as atividades propostas.

micro-learning-exemplo

Veja um exemplo de micro-learning: curso fragmentado em muitas partes pequenas

Essa metodologia pretende entregar informação como se fosse uma rajada de conteúdo de interesse. Toda a sua estrutura é concebida para captar a atenção e promover um aprendizado efetivo a cada exibição (que pode ser feita em vídeo, texto, áudio etc).

Na era em que os Millennials (ou geração Y) estão entrando com toda  velocidade como força de trabalho nas instituições, algumas das dificuldades de todas as gerações são multiplicadas para esse grupo. É fundamental acompanhar o seu ritmo e, ao mesmo tempo, defender os interesses e visão das empresas. Atrair, desenvolver e reter os talentos dessa geração é um desafio e a questão que sempre se coloca é a mesma: como conquistar algo que vá além resultados medianos? Como conseguir real engajamento das equipes?

Como engajar e impactar os colaboradores através do micro-learning?

Criar treinamentos online usando a metodologia de micro-learning é um processo que exige maestria e muita dedicação. O fundamento é produzir um conjunto de videoaulas ou aulasweb de 3-5 minutos onde é oferecida informação sobre determinado tema, mas é importante não reduzir a metodologia a apenas isso Contando com um contato mais constante com o conteúdo – o aluno passa mais dias tendo contato com o conteúdo, e menos resistência, o que se pretende com esse tipo de curso é capacitar recursos humanos de forma adequada, permanente e em alinhamento com a missão e valores da organização.

Para que isso se torne possível, é fundamental desenvolver cursos com um verdadeiro poder transformador. Os treinamentos devem respeitar três características “mágicas”:

  • Informações curtas
  • Dados relevantes
  • Conteúdos digeríveis

Gostou da ideia e dos conceitos gerais mas ainda tem dúvidas sobre como construir um treinamento no formato micro-learning? Confira algumas dicas sobre os requisitos necessários para construir um pacote de micro-learning atraente e que permita preencher lacunas de conhecimento de forma imediata!

1. Conheça o seu público-alvo

Saiba quem são os seus alunos, as suas características e competências. Toda a estratégia de ensino deve ser direcionada e personalizada para a sua audiência.

2. Identifique os objetivos de aprendizagens específicos

É essencial que você saiba quais os resultados que você deseja ver em seus colaboradores no final do curso. Sendo um pouco mais claro: o  treinamento em micro-learning como um todo, deve se traduzir em alterações comportamentais dos alunos. Para isso deverão ser definidos objetivos atingíveis e concretos.

3. Direcione seus colaboradores a aplicar os conhecimentos adquiridos

O micro-learning, ou qualquer treinamento, pode ser um mais do que absorver e processar informações. Levar o aluno, de alguma forma, a aplicar a nova habilidade, pode constituir uma estratégia diferenciada, permitindo um envolvimento efetivo dos participantes no processo de aprendizagem.

Vejamos um exemplo: você precisa de um treinamento online que favoreça a melhoria dos processos de preenchimento de formulários dentro da empresa. São concebidas algumas aulas em vídeo sobre os modelos de questionário, meramente descritivas. Já pensou que você poderia elevar o treinamento a um outro nível, se o formando pudesse treinar, durante a capacitação, o preenchimento do formulário?

“Aprender, fazendo” é um mantra que permanece sempre atual e pode ser bastante útil em algumas situações específicas.  

4. Foco total em informação direta e concisa

No micro-learning há pouco espaço para divagações e dispersão do essencial, sob a pena de se perder o que é realmente essencial. Para que os resultados surjam, tem que existir concentração máxima nos conteúdos obrigatórios. Claro que isso não quer dizer que o aluno não possa ter à disposição indicação de material complementar para aprofundamento. Contudo, cada aula (seja ela em texto ou vídeo) deve ser direta na informação-chave fornecida. Não obstante, assuntos complementares, como “Saiba mais” (não obrigatórios) devem ser devidamente sinalizados. Dessa forma o aluno vai acessar com base no seu interesse e não por obrigação.

5. Faça uso de exemplos reais

Nesse ponto o truque é conseguir a empatia do aluno em relação à informação que está sendo passada. Mas isso quer dizer exatamente o quê? Quer dizer que é importante fazer uso de exemplos reais, com os quais seja possível criar identificação (empatia). É isso que vai despertar o interesse dos colaboradores em se engajarem com os temas e compartilharem experiências dentro da plataforma do curso. Sempre que isso acontece a retenção dos conteúdos é facilitada. A utilização de histórias individuais e a sensação de que aquele vídeo está indo ao encontro das dificuldades e problemas do ouvinte, é uma porta aberta para o sucesso do treinamento.

6. Use voz ativa e evite narrativa

Como uma última dica, porém não menos importante, podemos citar o tom. A forma como seu conteúdo será elaborado depende do conteúdo, objetivo e da cultura da empresa.

Uma observação para o mercado em geral é que , gradualmente o tom sóbrio tem sido substituído pelo  tom de conversa, de troca do conteúdo (do instrutor, se estiver evidenciado) para o colaborador. A linguagem técnica cada vez mais tem dado lugar a termos mais simples e diretos, para aumentar o público alvo que o treinamento pode atingir.

O mundo é dinâmico, por as soluções que buscamos implementar em nossas organizações  precisam acompanhar essa velocidade.

Não deixe de aprofundar o seu conhecimento sobre micro-learning e em caso de dúvidas fale com a gente. Nosso papel é te ajudar a encontrar uma solução efetiva para o sucesso dos treinamentos da sua empresa.

E aproveite para partilhar as suas atividades e dificuldades: deixe o seu comentário.