Videoaulas: Quando vale a pena terceirizar a produção? | Literis

Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 


    Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

    videoaulas

    Devido ao seu alto impacto visual e dinâmica ofertada, as videoaulas são uma das ferramentas mais poderosas para o EAD atualmente. Por isso, utilizar videoaulas de qualidade pode fazer toda a diferença no engajamento dos colaboradores no projeto de aprendizado da organização. Contudo, uma dúvida bastante comum é quanto a sua produção: realizar internamente ou terceirizar o processo de produção?

    Já abordamos anteriormente as possibilidades de gravar vídeos rápidos e eficazes internamente. Porém, tem alguns momentos em que uma produção profissional de videoaulas é necessária e fará toda a diferença no projeto. Sendo assim, o quanto essa produção trará benefícios em termos de engajamento e absorção do conteúdo do treinamento? Vamos analisar caso a caso essa questão a seguir.

    Produção interna X Produção terceirizada

    Antes de tudo é importante frisar que não existe um jeito certo e errado ou melhor e pior. A produção está dentro do contexto de cada organização. Ou seja, saber o que será melhor para a realidade da sua organização vai depender das suas reais necessidades e limitações.

    1.Tempo de produção de videoaulas

    Podemos considerar o tempo como uma questão delicada e relativa na produção de um EAD. Por exemplo, de uma forma geral, produzir videoaulas internamente demanda menos tempo do que terceirizar o processo. Isso porque a empresa contratada precisará contactar fornecedores, cotar, aprovar, assinar o contrato e etc, antes de começar.

    Contudo, é importante salientar que produzir internamente demanda mais esforço interno da equipe. E caso não tenham tempo e/ou experiência para realizar as videoaulas, o processo todo de produção poderá ficar ainda mais longo do que se tivesse sido terceirizado.

    2.Dedicação da equipe para produzir

    Como falamos no tópico anterior, decidir realizar a produção das videoaulas internamente demanda muito mais esforço da equipe interna do que terceirizar a produção. Já que todos os vários processos pré, durante, e pós projeto de gravação e produção da videoaula deverão ser absorvidos internamente pela equipe – ou por você.

    Enquanto que, obviamente, ao terceirizar o processo para uma empresa especializada tira das suas mãos a maioria dos trabalhos implicados na produção. E esse realmente é um dos aspectos que mais costuma pesar na hora da decisão. Já que em um dia a dia tão corrido, fica ainda mais difícil administrar mais uma tarefa na rotina de trabalho.

    3.Custo de produção de videoaulas

    Um outro aspecto que costuma pesar bastante na decisão está diretamente relacionado com o custo da produção de videoaulas. Em períodos de crise, no qual a verba para treinamento e desenvolvimento fica mais reduzida, decidir optar pela produção interna pode ser a solução. Pois, naturalmente, contratar uma empresa especializada para produzir o treinamento é mais custoso por todas aquelas questões já mencionadas anteriormente: contratação de diferentes fornecedores, equipamentos profissionais, locação de estúdio, material e por aí vai.

    4.Qualidade das videoaulas

    Contudo, ainda que terceirizar a produção demande um maior investimento financeiro, o retorno da qualidade do projeto costuma ser superior ao das produções internas. Pois aqui o contratante escolhe lidar com uma organização que já possui um know-how na produção de diferentes formatos de conteúdo para EAD, acesso a bons equipamentos, profissionais especializados e estúdio. E, portanto, consegue entregar um material mais profissional.

    5.Tipos de conteúdo

    Por fim, o tipo de conteúdo do seu treinamento pode ser o fator decisivo para optar pela produção interna ou terceirizada.

    Em casos de conteúdos mais corriqueiros e que exigem uma constante alteração do treinamento, a escolha de realizar a produção interna acaba sendo mais adequada para a organização. Pois atualizar constantemente um treinamento com uma empresa terceirizada é algo que demanda mais tempo e investimento.

    Por outro lado, no caso de treinamentos com conteúdos mais estratégicos, sobre novos produtos ou mudanças na estrutura da organização. Enfim, conteúdos mais imperecíveis e menos sujeitos a alterações rotineiras, a produção terceirizada pode ser considerada uma escolha mais acertada.

    Mas por que videoaulas se tornaram essa ferramenta tão fundamental para o EAD?

    A questão é que o cérebro humano engaja bem mais em conversações. Já que está configurado para prestar atenção na experiência multidimensional que vai além do conteúdo, até expressões faciais e tons de voz. Como mostra esse estudo, absorvemos cerca de 95% do conteúdo em vídeo que consumimos, contra apenas 10% do mesmo conteúdo no formato de texto, por exemplo.

    Qualidade faz toda a diferença

    A palavra qualidade, fora do seu contexto técnico, é um termo vago e que, em geral, precisa ser especificado, concorda? Mas aqui estamos intencionalmente usando o termo vago: a qualidade percebida pelo colaborador/aluno em geral.

    Quando o aluno tem a percepção de que o material está bem feito, isso traz um benefício muitas vezes inconsciente, que é a credibilidade do conteúdo. Pois o material bem produzido transmite ao colaborador a mensagem de que a organização dá importância e seriedade ao tema. E que, portanto, é importante para o colaborador absorver o conteúdo do treinamento e desenvolver as habilidades para que possa aplicar no seu dia a dia.

    Contudo, embora o vídeo tenha uma boa aceitação inicial por essência, tem também uma grande taxa de abandono. E, por isso, manter o engajamento é o nosso desafio. Sendo assim, para entender como fazer vídeo aula de qualidade é necessário se atentar a alguns detalhes. Pois, além do conteúdo relevante, um roteiro bem organizado, ferramentas para deixar o vídeo mais interessante e questões instrucionais farão toda a diferença, como veremos a seguir.

    Qualidade da imagem

    Como mencionado, qualidade é sempre importante, mas em videoaulas ela vai além da estética. As expressões, gestos e tom de voz são recursos que fisgam a atenção e, portanto, precisam ser facilmente reconhecidos.

    Se você já esteve em uma reunião online com alguém que estava com a qualidade do vídeo muito ruim, sabe como tal experiência pode ser cansativa. Ou seja, a imagem perfeita do instrutor pode não ser essencial para o conteúdo, mas uma imagem com qualidade ruim, inconscientemente, torna o treinamento mais cansativo e assistir um conteúdo mais longo pode se tornar uma tortura para o colaborador.

    Vale ressaltar, inclusive, que se durante as videoaulas for necessário exemplificar uma situação mostrando algo que vá além simplesmente da figura do instrutor, a questão da qualidade da imagem se torna ainda mais importante. Pois, a imagem passa a ser parte do conteúdo. Sendo assim, por mais que o assunto seja muito interessante e o instrutor excelente, não serão suficientes para manter o colaborador envolvido e engajado no treinamento por muito tempo. Ou seja, a qualidade da imagem é realmente imprescindível.

    Desta forma, somando as características anteriores a uma videoaula dinâmica e com qualidade de imagem, temos um bom caminho andado para a criação de videoaulas com alta capacidade de retenção de alunos.

    Mudanças de contexto de cena

    Como falamos anteriormente, além de um bom instrutor, se faz necessário o desenvolvimento de uma boa dinâmica na apresentação do conteúdo para que o mesmo se torne ainda mais interessante aos olhos do colaborador.

    Sendo assim, videoaulas onde o instrutor fica parado falando para a tela por horas pode ser cansativo, além de um excelente sonífero. Ou seja, é importante buscar ferramentas para tornar o treinamento mais envolvente, buscando algumas formas de mudar a estrutura tradicionalmente engessada.

    Existem alguns aspectos podem interferir nesse quesito, como caprichar na entonação da voz, utilizar os cortes a seu favor, tornando as pausas menos lentas, e, claro, brincar com a dinâmica de mais de uma câmera alternando-as uma para outra e passando a sensação de agilidade e interação para as videoaulas. Pois, esse artifício permite mudar o ponto de vista. E essa mudança permite ao instrutor treinado, destacar e dar ênfase, dicas, e explicitar experiências pessoais, em um contexto diferente.

    Além disso, aqui também vale utilizar multiformatos de conteúdos para deixar o EAD mais interessante e dinâmico. Normalmente falamos de blended learning como sugestão para mesclar treinamento online com o presencial, mas essa é apenas uma das formas de criar um projeto de aprendizado combinado. Ou seja, vale se utilizar do blended learning também para mesclar diferentes abordagens de conteúdo em um mesmo treinamento online.

    Apresentação de apoio

    E por falar em blended learning, ou multiformatos, o PowerPoint é uma forma mais simples de alternar a abordagem. Como já falamos, em certos tópicos, um apoio visual é um complemento importante. Sendo assim, intercalar a imagem do instrutor com apresentações PPT bem produzidas ao apresentar tópicos, gráficos ou esquemas, aumentam a probabilidade do colaborador ficar envolvido no treinamento por mais tempo.

    É importante dizer que esse também é um fator que contribui para o desenvolvimento de videoaulas mais dinâmicas. Pois, além de ser possível acrescentar inúmeros elementos na apresentação, você pode intercalar os cortes de imagem do locutor com a apresentação de apoio, possibilitando novas cenas e contextos.

    Videografia

    Falando em destacar conteúdos importantes, é totalmente válida a inserção de tópicos para o aluno se localizar. Ou seja, marcar novos termos, grafias difíceis, números impactantes e inserir imagens de exemplo, complementam a fala do instrutor. Pois esse tipo de destaque tende a melhorar a retenção, além de contribuir orientando o colaborador para que ele não se perca na sequência de raciocínio do instrutor.

    Qualidade do Áudio nas videoaulas

    Acho que já deu pra perceber como a qualidade da imagem é importante, mas o áudio também não fica para trás. Ou melhor, não pode ficar! Afinal, o impacto do áudio acaba sendo muito mais direto do que do vídeo, tendo em vista que a maior parte do conteúdo é transmitida através dele.

    Sendo assim, apesar de ser muitas vezes negligenciado, o som é fundamental para videoaulas. E, a qualidade ruim do áudio pode tornar o vídeo extremamente cansativo e até irritante, e com certeza não é isso que você quer.

    Por isso, se atentar a algumas questões é fundamental para garantir uma gravação de qualidade. Desta forma, investir em um bom equipamento de captação de som é realmente importante. Pois, um equipamento ruim, além de deixar o som com ruídos e pouco claro, tornando-o cansativo de ouvir, dá ao treinamento um aspecto pouco profissional, o que pode jogar contra a seriedade dada à organização ao tema abordado.

    Contudo, também é possível garantir uma qualidade razoável do áudio com equipamentos um pouco mais simples, no caso de optar por fazer a produção internamente. Para tal, existem alguns fones e microfones no mercado com excelente custo benefício.

    Atenção à voz!

    Contudo, só um equipamento de qualidade não faz milagre. Pois, como falamos anteriormente, através da entonação dada às palavras o instrutor do treinamento é capaz de realizar marcações a assuntos importantes, construir cenários e desenvolver uma boa dinâmica e ganchos entre os assuntos abordados.

    No entanto, é necessário se atentar a algumas questões para que a locução não tenha efeito contrário e jogue contra o treinamento. Para tal alguns cuidados devem ser tomados, como:

    • Evite o discurso prolixo – se atente apenas às informações realmente necessárias;
    • Cuidado com os vícios de linguagem, gírias e exageros. O desenvolvimento de um script bem detalhado é crucial.
    • Não assuma uma postura inquieta no vídeo. Um instrutor que fica o tempo todo se movendo de forma exagerada pode tornar-se uma distração.

    Lembre-se: O objetivo de uma boa locução é envolver e guiar a experiência do colaborador focando no resultado, que é a maior retenção ao treinamento. Ou seja, o instrutor/locutor não deve jamais se tornar uma distração ao conteúdo ou protagonista da história. Pois ele é mais uma peça do projeto de como montar uma video aula de qualidade.

    Crie um roteiro para as videoaulas

    Por último, mas não menos importante: estruture um roteiro bem pensado. Pode parecer, mas não é frescura, muitas vezes temos tudo na mente, mas é só a câmera ligar que as palavras somem.

    Sendo assim, ter como apoio um bom roteiro ajuda a deixar o instrutor mais confiante e no controle quanto ao tema abordado, dando um tom mais profissional ao conteúdo. Um instrutor confiante é peça chave para o desenvolvimento de uma narrativa convincente e impactante.

    Hora de pôr a mão na massa

    Uma questão na hora de criar videoaulas é decidir entre fazer internamente ou terceirizar a produção. Contudo, a depender da situação, contratar uma empresa já com o know-how necessário pode ser bem mais eficiente em termos de custo e, principalmente, tempo. E, caso se identifique com uma ou mais das alternativas abaixo, é provável que a terceirização da produção da sua videoaula seja a melhor opção para o seu negócio.

    1. Se o contexto do treinamento demanda uma produção visivelmente de qualidade, como um lançamento de produto, ou é uma apresentação sobre a fusão da sua organização.
    2. Você não tem acesso a um espaço ou estúdio de gravação adequado.
    3. Não tem tempo ou conhecimento para estruturar um roteiro de videoaulas aula e para acompanhar e desenvolver uma boa sessão de gravação.
    4. Ou não tem acesso a equipamentos e software de gravação e edição, e contratar, separadamente, cada coisa pode ser muito custoso.

    Se alguma dessas hipóteses se tornaram preocupações reais agora para você, é possível que a melhor escolha seja terceirizar a sua produção para uma organização com experiência em EAD. A videoaula é uma importante ferramenta ao projeto de capacitação da organização e a Líteris te garante que não precisa ser difícil. Confira abaixo um vídeo sobre a produção de uma videoaula desenvolvido pela Líteris Treinamento Online e agende uma consultoria.