Treinamento eficiente para
uma performance excelente.

Receba atualizações, artigos e dicas imperdíveis
para ter grandes resultados com o seu treinamento.
(é Grátis)

 


Seu e-mail está seguro. Você receberá apenas e-mails relevantes ao tema.

Boas práticas de vídeos populares nas internet podem ser aplicadas em e-learning

Quem nunca recorreu ao YouTube para aprender algo? Por ser mais fácil de assimilar, o conteúdo em vídeo ganhou destaque na busca por conhecimento e hoje é o formato com maior retorno de investimento na visão dos especialistas digitais.

O mercado de educação corporativa tem apostado bastante nas videoaulas e tutoriais em vídeo para deixar os treinamentos online menos frios e mais dinâmicos. Mas, ainda esbarra em desafios: como manter o conteúdo atualizado ao longo do tempo, reduzir os custos de produção de vídeos, engajar os alunos e medir a efetividade do aprendizado.

Você já deve ter ouvido falar nos youtubers, influenciadores digitais que estão causando uma febre na internet. Assim como em e-learning, eles precisam prender a atenção da audiência para que ela veja os vídeos produzidos por eles até o final, e realize alguma ação desejada em seguida. A fórmula para esse sucesso é mais simples do que se pensa, veja só:

treinamento organizacional

É dessa forma que muitas produções simples e com baixo investimento, mas feitas com uma percepção muito grande do público, estão gerando altos índices de engajamento. E esse é um ciclo que acontece de forma ágil: youtubers dão muito valor aos comentários nos vídeos e os acompanham bem de perto os feedbacks para manter a satisfação dos usuários.

E assim é como deve funcionar com e-learning: é preciso gerenciar o conteúdo que está na plataforma de treinamento online e verificar como está o acesso dos alunos ao material, qual o mais visualizado, perguntar a opinião dos colaboradores e entregar melhorias rápidas – uma prática que se aplica a qualquer tipo de material de treinamento.

 

Como criar treinamentos em vídeo que engajam

Mesmo que os objetivos sejam diferentes, você pode aproveitar muito da abordagem dos vídeos que se tornaram populares nas redes sociais para deixar os seus treinamentos corporativos mais leves e aderentes ao público. Algumas dicas são:

  • Gere empatia: a identificação com o público é um dos principais motivos da popularidade dos youtubers. É importante que o professor/narrador do vídeo consiga se aproximar do aluno e mostrar que está ali para ajudar no aprendizado. Não é o caso de contratar um youtuber para dar o treinamento, mas será que não há um colaborador da sua equipe com mais intimidade com as câmeras e que possa dar as boas-vindas ao curso?
  • Fale a língua do público: antes de criar um treinamento em vídeo, é preciso conhecer o perfil dos colaboradores que vão assistir à aula. Eles são mais jovens ou mais seniores? Estão acostumados a esse tipo de formato ou são mais tradicionais? Considere isso na hora de definir a abordagem ou até mesmo decidir se vale desenvolver um vídeo para o curso.
  • Aposte em produções de baixo custo: muitas empresas ficam com medo de se comprometer com a produção de vídeos por não terem equipe para isso ou orçamento para contratar uma produtora. Mas, o que define o custo são os recursos que você irá utilizar. Hoje é possível fazer pequenas produções com alta qualidade usando aplicativos ou contratando produtoras de vídeo que façam pacotes especiais. Confira algumas dicas para produzir suas videoaulas internamente.
  • Deixe claro para o usuário o que ele vai encontrar: é interessante que o vídeo traga uma descrição do conteúdo que será abordado. Se for muito extenso, vale também incluir um breve sumário dos principais pontos que serão trabalhados na videoaula.
  • Mantenha o público atento: uma forma de deixar o vídeo menos cansativo e mais didático é utilizar recursos de interatividade. Por exemplo, faça algumas pausas para propor reflexões aos alunos ou realizar exercícios, reforce pontos-chave da matéria com textos na tela, utilize gráficos, animações, pop-us, links para indicar outro vídeo com conteúdo relacionado ao tema. A plataforma LMS da Literis, por exemplo, permite adicionar aos vídeos links externos, pausas, avançar para um determinado ponto da aula, entre outros recursos.
  • Chame para uma ação: um programa de capacitação possui início, meio e fim. Por isso, é fundamental que esteja claro o que deve ser feito ao final de cada videoaula e o que se espera uma vez que se conclua a visualização de todos os vídeos. Continuar a conversa é uma forma de conduzir a equipe na trilha de conhecimento.
  • Mostre-se aberto a comentários: uma empresa inclusiva e colaborativa está aberta ao diálogo com os funcionários. Por isso, não tenha medo de receber feedbacks sobre o material de treinamento produzido. Muitas ideias de melhorias saem justamente dos comentários e é positivo valorizar a opinião da equipe.
  • Utilize avaliações de reação: os youtubers conseguem ter uma análise quantitativa dos vídeos que produzem por meio dos likes nos vídeos e número de visualizações que eles geram. Em uma plataforma de gestão do treinamento, é possível ter uma análise mais detalhada e automatizada do feedback recebido por meio de uma avaliação de reação. Se o treinamento fosse presencial, por exemplo, daria um trabalhão para tabular os dados, mas na plataforma isso acontece de forma automática.

 

Suas videoaulas estão dando conta do recado?

Hoje, as plataformas de treinamento EAD permitem acompanhar os mais variados indicadores de treinamento para verificar a efetividade de uma estratégia de e-learning. É importante definir as métricas para as suas videoaulas e tutoriais como a quantidade de visualizações dos vídeos, o tempo de permanência neles, as interações e o índice de conclusão das unidades.

Vale reforçar que um treinamento online dinâmico não se limita a videoaulas. Mesclar esse formato com outras modalidades de capacitação pode agregar muito na assimilação do conteúdo. Por exemplo, as aulas online funcionam muito bem para conteúdos mais abstratos ou comportamentais; já para um conhecimento mais analítico, que naturalmente gera mais questionamentos, alguns momentos presenciais podem fazer toda a diferença no aprendizado.

Lembre-se que antes de definir a estratégia de treinamento em vídeo é indispensável avaliar como ela se aplica a sua empresa, para não correr o risco de ter gastos financeiros e de tempo desnecessários. Na Literis, nós podemos te ajudar a analisar esse cenário, mapear o perfil das equipes, estudar os recursos de treinamento disponíveis e definir métricas de acompanhamento para dar um gás no seu e-learning por meio de videoaulas e tutoriais. Fale com a gente!